recomendar este canal

Inscrever a Europa nos muros das cidades

Mural dos Direitos Fundamentais da UE, Serpa
Mural dos Direitos Fundamentais da UE, Serpa
imprimirimprimir enviar enviar por mail
classifique este conteúdo votar
conteúdo já votado
ver Links Links relacionados
Arte pública sobre os Direitos Fundamentais da UE

Cidadãos ilustram murais de azulejos

O projecto «Inscrever a Europa nos muros das cidades» tem por missão promover uma cidadania europeia activa através da criação de murais em azulejos que ilustram os artigos da Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia.

 

Objectivos | História | Ateliers | Murais

Rede nacional | Rede europeia | Modelo de boas práticas

Promotores | Financiamento

 


 

Objectivos

 

  • Sensibilizar as populações para a cidadania europeia através da arte pública;
  • Ilustrar os direitos consagrados na Carta através dos trabalhos dos alunos das Escolas participantes, recorrendo ao apoio das Câmaras e Associações locais;
  • Construir um painel de azulejos, monumento à cidadania, colocado num local público seleccionado pelo município.

 


topo

História

 

Em Maio de 2003, no quadro das celebrações do Dia da Europa e do programa «Europa na rua», realizados no Centro Cultural de Belém, o Centro de Informação Europeia Jacques Delors convidou a artista Françoise Schein a ilustrar, em pintura, com jovens de diversas escolas, a Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia. O trabalho resultante destes ateliers, ficou exposto durante 15 dias no Centro Cultural de Belém.

 

Surge, então, a ideia de divulgar a Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia através de ateliers de pintura, junto das populações com menor acesso à informação, onde a consciência de cidadania europeia é ainda reduzida.

 


topo

Os ateliers

 

Numa sessão de esclarecimento prévio, um formador do Centro Jacques Delors sensibiliza os participantes para a Carta dos Direitos Fundamentais da UE:

 

  • Contextualiza a sua criação: como foi redigida? Porquê?
  • Define os seus objectivos: para quê? Para quem?
  • Explica o seu conteúdo: leitura dos artigos pelos jovens

 

Os ateliers são dinamizados pelos artistas e animadores. São pintados os azulejos que, depois de cozidos, irão ilustrar o texto da Carta dos Direitos Fundamentais.

Com a participação activa das câmaras e juntas de freguesia, escolas, instituições culturais e associações locais, a Carta dos Direitos Fundamentais da UE ficará gravada num mural em local público de grande visibilidade, constituindo assim, um monumento perene à cidadania europeia.

 


topo

Os murais

 

Já são 16, as localidades que aderiram ao projecto, oferecendo aos munícipes e visitantes um mural ilustrado com o texto da Carta dos Direitos Fundamentais, em locais de grande visibilidade pública. Os painéis podem ser visitados nas ruas das seguintes localidades:

 

  • Porto - Complexo desportivo Monte Aventino - junto à Avenida Fernão Magalhães
  • Cascais, Alcabideche - Pavilhão desportivo Ibn Mucana
  • Serpa - parede do Cine-Teatro
  • Tondela - parede Escola EB 1
  • Guimarães - parque da Cidade - Alameda Conselho da Europa
  • Tomar - Biblioteca municipal
  • Vila Franca de Xira, Vialonga - Escola EB 2,3 de Vialonga
  • Lisboa, Belém - Travessa da Praça (perto dos pastéis de Belém, junto ao jardim Vasco da Gama)
  • Felgueiras - junto à Biblioteca municipal
  • Tavira - junto à Escola da estação
  • Trancoso - Centro cultural
  • Reguengos de Monsaraz - piscinas municipais
  • Oeiras, Caxias - Escola Básica 2,3 de S. Bruno
  • Sintra, Mira Sintra - Parque Urbano de Mira Sintra
  • Ulgueira, Cabo da Roca - paragem de autocarros
  • Loures - Escola EB 2/3 Luís de Sttau Monteiro

 


topo

A rede nacional

 

Em Maio de 2006, de novo no quadro das comemorações do Dia da Europa, o Centro de Informação Europeia Jacques Delors, com a colaboração da Associação Inscrire, lançou a rede de escolas e municípios participantes do projecto «Inscrever a Europa nos muros das cidades».

 

Deste modo, procurou-se:

 

  • Dar continuidade à dinâmica criada nas cidades envolvidas, enquanto promotoras da cidadania europeia, mobilizando os actores para a realização de actividades conjuntas que sensibilizem os seus habitantes e liguem as cidades entre si;
  • Alargar a rede a novas cidades.

 


topo

A rede europeia

 

Os cidadãos europeus estão unidos pelos mesmos valores fundamentais expressos nos artigos da Carta dos Direitos Fundamentais da UE, ilustrados nos murais: dignidade, liberdades, igualdade, solidariedade, cidadania, justiça. Esta ideia de valores comuns levou o projecto a alargar-se a outros países. Em 2006, Françoise Schein dirigiu ateliers em Paris e Barcelona.

 

A 12 de Janeiro de 2007 foi formalizada, em Lisboa, a rede europeia ligando a rede nacional às escolas e autarquias de outros países da UE.

 


topo

Modelo de boas práticas

 

O projecto foi considerado um caso modelo de boas práticas de participação cívica pela Rede de Cidadania Activa (Active Citizenship Network). A rede opera a nível europeu e internacional e tem por missão promover e apoiar a construção de uma cidadania europeia como uma «cidadania activa» significando que os cidadãos exercem poderes e responsabilidades na vida política.

 


topo

Promotores

 

Orientação pedagógica do projecto

 

Centro de Informação Europeia Jacques Delors

Internet: www.eurocid.pt

E-mail: formacao@ciejd.pt

Tel.: +351 211 225 000

 

Coordenação e concepção artística do projecto

 

Associação Inscrire

Internet: www.inscrire.com

E-mail: vera@inscrire.com

 


topo

Financiamento

 

As autarquias deverão assegurar os custos (ver orçamento indicativo por atelier para 2009). Este projecto além fronteiras é co-financiado pela Comissão Europeia.

 

Na fase inicial, o projecto teve o patrocínio da «Comissão Nacional para a Comemoração do 50.º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos e para a Celebração da Década das Nações Unidas para a Educação em Matéria de Direitos Humanos».

 


topo

Última actualização: 2010-04-07